9 de nov de 2012

Dia de Carl Sagan - um gênio que completaria 78 anos


Hoje, 9 de novembro de 2012 a comunidade científica, os fãs do mundo inteiro e nós do Guepard Design Team comemoram o 78º aniversário de Carl Sagan, um grande cientista que contribuiu para nos fazer olhar para o céu (e para nós) de forma diferente.

Nascido em 9 de novembro de 1934, Carl Edward Sagan foi gerado e criado por uma família simples que morava no Brooklyn (Nova Iorque, Estados Unidos), filho de um pai imigrante russo e uma mãe americana de etnia judaica. Apesar de sua origem humilde e evidentemente pouco instruída, Sagan dedica a seus pais sua curiosidade e seu empenho em aprender:
"Meus pais não eram cientistas. Eles não sabiam quase nada sobre ciência. Mas em me apresentar simultaneamente ao ceticismo e ao saber, eles me ensinaram os dois modos de pensamento coexistentes e essenciais para o método científico." (livro "Shadows of Forgotten Ancestors", escrito por ele próprio)
Sua formação multidisciplinar (PhD em astrofísica, experiências no Smithsonian, passagens pelas Universidades de Chicago, Havard, Cornell...) lhe propiciou aceitação e admiração no programa espacial americano, tanto que lhe foram dados títulos honorários e cargos elevados dentro da NASA, como o de consultor e conselheiro da agência. Carl também trabalhou com os astronautas das missões Apollo e como chefe dos projetos Marineer e Viking (enviadas a Vênus e Marte) e as missões Voyager (confins do Sistema Solar) e da sonda Galllileu (Júpiter). Com todas essas expedições, ele conseguiu explicar o exceso de temperatura em Vênus (resposta: efeito estufa alarmante), as mudanças sazonais em Marte (resposta: poeira trazida pelo vento), e a névoa avermelhada de Titã, lua de Júpiter (resposta: moléculas orgânicas complexas).


Cena de Cosmos, apresentado por ele mesmo
Foi escritor de várias obras, inclusive os livros "Os Dragões do Éden", ganhador do prêmio Pulitzer de literatura e "Contato", que chegou a ganhar uma adaptação cinematográfica. Ele também foi o cabeça da série Cosmos, da qual ele mesmo apresentava e escrevia o roteiro, ao lado da produção da sua esposa Ann Duryan.
Sagan sempre foi um cético defensor da possibilidade de vida extraterrestre, conforme se veem em muitas de suas citações:
"Se não existe vida fora da Terra, então o universo é um grande desperdício de espaço."

"O que é mais assustador? A idéia de extraterrestres em mundos estranhos,
ou a idéia de que, em todo este imenso universo,
nós estamos sozinhos?"


"A ausência da evidência não significa evidência da ausência."
Visionário, criou a Sociedade Planetária (foto ao lado, mostrando seus cofundadores e Carl Sagan ao centro, de terno claro) e promoveu o SETI ("Search for Extra-Terrestrial Intelligence", sigla em inglês para Busca por Inteligência Extraterrestre), programa que analisa ondas de rádio com o intuito de buscar evidências de contato alienígena. (Isso aí, eu também acho que seria muito egoísmo somente a Terra abrigar vida num universo infinito!)
"Em minha estimativa parcial, ele era uma figura histórica mundial que nos incentivou a deixar a espiritualidade geocêntrica, narcisista, “sobrenatural” de nossa infância e abraçar a vastidão — amadurecer ao tomar as revelações da revolução científica moderna de coração" (Ann Druyan falando sobre o finado marido)

Ann Druyan, viúva de Carl
Sagan casou-se três vezes: a primeira com a bióloga Lynn Margulis (mãe de Dorion e Jeremy Sagan), a segunda com a artista Linda Salzman (mãe de Nick Sagan) e a terceira com a escritora Ann Druyan (mãe de Sasha e Samuel Sagan), com quem permaneceu casado até sua morte, em 20 de Dezembro de 1996, aos 62 anos, depois de 2 anos lutando contra uma rara e grave doença na medula óssea conhecida como mielodisplasia, além de também ter adquirido pneumonia. Seu estado debilitado, porém, não impediu que ele continuasse seus estudos e suas colaborações para o mundo em geral. Sua última obra, "Bilhões e Bilhões", trata da vida e da morte tanto dos indivíduos quandos corpos celestes. No último capítulo ele escreve:
"Quase morrer é uma experiência tão positiva e construtora do caráter, que a recomendaria a todos - não fosse, é claro, o elemento irredutível e essencial do risco".
"The Pale Blue Dot" - palavras do próprio Carl
Uma de suas mais famosas reflexões diz que o nosso planeta não passa de um Pálido Ponto Azul, pensamento firmado em uma de suas conferências em 11 de Maio de 1996. A ideia de que a Terra é algo ínfimo na imensidão do universo gerou uma comoção mundial, e enfim muitas pessoas começaram a se preocupar mais com questões ambientalistas, políticas e sociais. Hoje, essa passagem continua com força total, sendo ensinada e parafraseada nas mais diversas formas.
"Considere novamente esse ponto. É aqui. É a nossa casa. Somos nós. [...] Talvez, não haja melhor demonstração das tolices e vaidades humanas que essa imagem distante do nosso pequeno mundo. Ela enfatiza nossa responsabilidade de tratarmos melhor uns aos outros, e de preservar e estimar o único lar que nós conhecemos... o pálido ponto azul."
Daqui do GDT, fica a mais sincera homenagem ao mestre da ciência Carl Sagan, um homem que veio de uma família humilde e foi parar nos confins do universo, presenteando a humanidade com conhecimentos astronômicos e conceitos pessoais jamais vistos. A você, Carl, nosso muitíssimo obrigado e que descanse em paz.
In Memorian - Clique na imagem para ampliar

0 comentários:

Postar um comentário

Links Ociosos

Colmeia Exchange

Compartilhe

Twitter Facebook Google+ LinkedIn RSS Feed Email Favoritos Mais...

Receba notícias por e-mail

Digite seu e-mail: