12 de fev de 2010

Qual será o futuro dos veículos?

Você já imaginou como seria o mundo daqui a alguns anos? Já pensou em como o nosso mundo evoluiu desde alguns tempos atrás? Já pensou também em o que será de nós se o avanço tecnológico continuar assim? Pois bem, vamos começar com o nosso passado:

Os carros começaram com projetos malucos e, com o passar do tempo, foram se aperfeiçoando, passando pelo Ford T, Fusca e etc.
  Já as motos eram verdadeiras bicicletas com motor, se tornando algo que poucos tinham e que poucos andavam, principalmente por causa do desconforto exitente nelas.
Avião nem se fala: um invento brasileiro, feito por Alberto Santos Dumont, que com seu 14-Bis voou por pelo menos 300 metros numa pista de Paris, fazendo o primeiríssimo voo de avião (apesar de boatos que os irmão Wright tenham conseguido voar antes). Depois disso, os aviões ficaram mais modernos e foi inventada a turbina.


E agora, como nos movimentamos? Temos no presente coisas ultratecnológicas que nem nossos criativos avós ou até nossos pais imaginariam para esse tempo. Carros ganharam injeção eletrônica, motos também ganharam isso e ganharam também motores menores e mais potentes. 


Aviões? São uma viagem! Turbinas super potentes levam alguns dos modelos mais avançados a voar mais rápido que o próprio som (portanto não grite quando um desses passar porque eles não vão te ouvir).


E então, como será o futuro? Não pense que será com carros voadores, veículos flutuantes, casas suspensas... Não, não será nada disso. E como será? Simples: quase igual ao presente, porém com mais apetrechos e melhor design. O fato é simples de se explicar: um carro flutuante não teria uma vida muito longa pois, pelo fato de flutuar, seria facilmente empurrado para o outro lado do desespero do dono. Em outras palavras, seria fácil de roubar. Ou então, quando "pousado" provavelmente iria arranhar a parte de baixo, a menos que tenham estacionamentos específicos, o que reduziria o local de aterrisagem apenas a esses pontos, colocando o motorista numa tremenda enrascada. Veja um modelo tipo isso, o Audi Shark:


Outra opção de roda estaria no Audi RSQ (tem que ser sempre da Audi, Jon?) que utiliza rodas esféricas, o que permite que o carro se mova para qualquer direção independente do ângulo. 


O carro ficou conhecido no filme Eu, robô, com Will Smith, mas tem similares, como N-Joy, do designer brasileiro Wesley Saikawa, veículo que, na minha opinião, é mais detalhado e destaca mais as suas esferas.


O problema desse tipo de roda é que elas têm de ficar no seu encaixe especificamente, isto é, restringe o motorista a terrenos lisos, tornando qualquer buraco um desafio.

As motos do futuro também são bem diferentes. Esse veículo batizado de Scarlet foi criado pelo designer sueco Mikael Lugnegard. Confira aqui (sim, aqui mesmo) o portfolio dele. As imagens da Scarlet estão a partir do item 03.

 Já essa aqui é a Honda V4, que já teve um artigo publicado aqui no blog:
O probelma não é o que realmente vai dar problema, mas sim o fato de que os progrmas gráficos avançaram tanto que podemos considerar essas imagens uma realidade sem saber da história verdadeira. Eu até já postei um desenho propondo uma moto com esteiras esnvolvendo as rodas, lembram? 


O Scarlet não existe e a V4 não anda. Para quebrar esse tabu de que mais nada é real no mundo, temos modelos como a Uno, que não possui rodas traseiras mas sim duas rodas de lado.

Bicicletas também evoluíram quanto à tecnologia e ao design, principalmente quando se fala da Peugeot B1K:


E os aviões?! Não tenho muito o que falar deles, mas sei que os modelos futuros prometem carregar mais passageiros e gastar menos combustível, aumentando sua aerodinâmica e utilizando novos cumbustíveis. Confira as imagens:


Até a próxima!

Um comentário:

Links Ociosos

Colmeia Exchange

Compartilhe

Twitter Facebook Google+ LinkedIn RSS Feed Email Favoritos Mais...

Receba notícias por e-mail

Digite seu e-mail: